Entenda a diferença dos planos de saúde com e sem coparticipação

Tempo de leitura: 2 minutos

Muitas pessoas na hora de pesquisar preços e contratar um plano de saúde para sua família ou empresa, desconhecem a principal informação que é a forma que seu plano de saúde pode ser contratado, mas não se preocupe que nessa matéria vamos esclarecer as dúvidas desses 2 formatos.

Planos de saúde sem coparticipação

Vamos começar com os planos sem coparticipação, nesse formato tradicional, você paga somente o valor da mensalidade, isto significa que mesmo que você utilize o plano para consultas, exames, cirurgias ou internações não vem na fatura nenhuma cobrança adicional. Até aqui nenhuma novidade.

Planos de saúde com coparticipação

Agora vem o pulo do gato, muitas pessoas nem sabem que existem o formato com coparticipação, e algumas conhecem e não fazem a lição de casa que é fazer contas para ver se esse plano vai se enquadrar melhor para a sua contratação.

No formato com coparticipação você consegue uma economia no valor da mensalidade em até 30% ao mês, dependendo de cada operadora, mas toda utilização vem cobrado uma taxa extra por uso. Mas vale a pena esse formato?

Podemos dizer que em muitos casos sim, vale muito a pena, isto porque as taxas são pequenas de coparticipação e você não vai usar o plano todo mês, a não ser casos isolados com doenças crônicas graves.

Se você analisar a redução de custo anual e fazer um cálculo médio de uso vai ver que vale a pena essa contratação, além da vantagem do reajuste ser mais em conta, devido ao uso consciente desse formato de plano, pois ninguém vai em um pronto socorro sem necessidade, ou até mesmo consultar com vários médicos da mesma especialidade para escolher o que mais lhe agrada.

O uso dos planos de saúde no formato sem coparticipação é muitas vezes sem a necessidade, e isso é um problema sério pois impacta no reajuste dos planos.

Mas como é cobrado as taxas de coparticipação nos planos de saúde?

Isso varia de operadoras, em algumas são cobrados valores fixos por consultas, exames, cirurgias e internações, e em outras são cobrados uma porcentagem do valor que a operadora paga por procedimento.

Fique atente na análise porque muitas operadoras tem teto máximo por mês, isso garante a você ainda mais tranquilidade de contratar um plano com coparticipação.
Resumindo, é você sentar com a sua família e fazer cálculos, só assim você vai conseguir definir o melhor formato, mas não deixe de analisar e considerar a opção de fazer um plano com coparticipação.